terça-feira, 7 de abril de 2015

Dia 3 - O corpo acorda

Sinto dores. Parece que bati com minhas costas. Parece que carreguei peso. Parece que meus braços estão inchados. E estão. Fazia uns bons tempos desde a última vez que me senti assim. E é bom estar 'desperto'. Tenho a impressão de que estive dormento (ou dormindo) e agora finalmente acordei, todo dolorido do colchão duro e de ficar na mesma posição a noite toda.

A dieta está em ordem. Tirando alguns deslizes que estão na tolerância de quem está começando (não conseguir seguir os horários e comer uma ou outra 'guloseima'), tenho me mantido bem. Por causa de resquícios do drama de ontem no trabalho, comi meio correndo hoje, porque cheguei em cima da hora. Comi mamão com aveia e um iogurte. Me admira eu estar gostando de mamão.

Um pouco do "resto" do que eu comi. Esse danio é gostoso, mas não exatamente "mata sua fome".

Hoje eu iria na academia fazer aeróbico. Provavelmente ia tentar - TENTAR! - fazer o tal de HIT, que é aquele método em que se intercala períodos em que 1) tu faz MUUITO ESFORÇO (por exemplo, corre com todas as tuas forças) com períodos em que 2) tu pára* e fica em praticamente repouso - o que faz o coração disparar pela diferença de tensão entre os dois momentos.

[*pára, com acento diferencial, porque sim, porque eu quis. Eu adoro esse acento e eu quis botar.]

Eu disse *IA* tentar, porque infelizmente não deu pra ir, já que a gente estuda na UFRGS. Parece um non sequitur (argumento em que a conclusão não segue das premissas), mas o caso é que a UFRGS é uma bagunça e tem mais alunos do que caberiam em suas salas de aula, e, pra tentar resolver isso, aloca alunos em locais bizarros fora de seus campi. A Priscilla teve aula lãããã no Campus Saúde, e, como Porto Alegre é um lugar perigoso à noite, e ela não conhecia aquelas bandas, eu tive que ir buscá-la.

Próximas terças ela já sabe como se virar, e eu vou tentar ir na academia - apesar de achar que vou me sentir muito desanimado indo sozinho.

Amanhã treino pernas. Não faço ideia do que vou fazer e nem quanto vai doer, mas estou meio que ansioso. Tem alguns exercícios que me animam, como flexões, barras e abdominais. Me sinto orgulhoso quando consigo fazer bastante. Nas pernas eu ainda não sei algum em que eu me sinta assim, mas deve haver :) normalmente fazendo pernas eu me sinto é constrangido...
----------//----------

Como Guaíba é linda. Parece cidade de praia. Eu já dizia isso antes, mas agora que eu vou em Guaíba como visitante eu sinto isso mais ainda. Tirei umas fotos do rio. Como o rio me faz refletir. Acho que é por causa dessa coisa de ele ser imenso. Me deixa meio sentimental, me faz pensar que eu sou pequeno. Eu que ando com conflitos existenciais, com a crise de tentar descobrir "quem eu sou?" e "o que eu quero deixar pra esse mundo?" e com decisões nas minhas mãos que eu sinto que afetarão toda a minha vida; eu que ando assim, quando vejo o rio, parece que me dá um certo alívio. É como se eu contemplasse Deus ou sei lá. É uma metáfora, talvez meio tosca, sei lá, mas é como se eu visse quão grande são as coisas se comparadas a mim, e que a minha decisão talvez nem importe tanto assim.

Quem vê diz que eu fiz grandes recortes, mas é só o lugar de onde eu tirei a foto...

Enfim. Está tarde, e eu ainda preciso levar o lixo pra rua.
Escrevo mais amanhã.
Paztejamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário